Seguidores

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Citações

1. Uma frase inteligente não prova nada. Voltaire
2. Tudo vale a pena se a alma não for pequena. Fernando Pessoa
3. O homem é o lobo do homem. Hobbes
4. Uma longa jornada começa com um único passo. Lao Tsé
5. A persistência realiza o impossível. Chinês
6. É triste falhar na vida, porém mais triste é não tentar vencer. Roosevelt
7. Pode-se vencer pela inteligência, pela habilidade ou pela sorte, mas nunca sem trabalho. Destoef
8. A vida é sempre maior do que qualquer instante. José C. Bruno
9. A perfeição não é alcançada quando não há mais nada a ser incluído, mas sim, quando não há mais nada a ser retirado. Exupéry
10. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Exupéry
11. O analfabetismo é desumanização do homem. Freire
12. Sabemos o que somos, mas não sabemos o que podemos ser. Shakespeare
13. O homem pode tudo quanto sabe. Bacon
14. O inferno são os outros. Satre
15. Viver é plural. Byron
16. O homem sensato não necessita de leis. Rousseau
17. Não corrigir nossas falhas é o mesmo que cometer novos erros. Confúcio
18. Dominar o medo é o início da sabedoria. Russel
19. Não há fatos eternos como não há verdades absolutas. Nietzsche
20. Viver é desenhar sem borracha. fernandes

Para lembrar

O caso de pego é complicado. Há muito tempo povo diz "fui pego", "tinha pego". está pego". É interessante notar que essa forma "pego", não é usada para todos os sentidos do verbo pegar. quando o verbo"pegar" é usado para indicar ideia de fogo, por exemplo, quase ninguém diz. O prédio tinha "pego" fogo. O que se diz mesmo é - O prédio tinha pegado fogo. Para indicar que o carro começou a funcionar, ninguém diz o carro já tinha pego, diz-se ... tinha pegado.
Só os incultos empregam esse termo. Bons autores utilizam essa forma com os auxiliares ser e estar. "Ele tinha pegado uma doença". O correto  - Ele tinha pego uma doença. Feito. Pegado, ora bolas!!

VAMOS CUIDAR DAS EMOÇÕES



Segundo a psicóloga americana Louise L. Hay, todas as nossas doenças são criadas por nós mesmos. Segundo ela, somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo. Todas as doenças têm origem num estado de não-perdão, diz a psicóloga. Sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar. Quando estamos empacados num certo ponto, significa que precisamos perdoar mais. Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão. Perdoar dissolve o ressentimento. A seguir, a relação de algumas doenças e suas prováveis causas, elaboradas pela psicóloga Louise. Reflita, vale a pena tentar evitá-las:

*DOENÇAS / CAUSAS:

AMIDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo.
APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.
ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.
ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.
BRONQUITE: Ambiente famíliar inflamado. Gritos, discussões.
CÂNCER: Mágoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.
COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.
DERRAME: Resistência. Rejeição à vida.
DIABETES: Tristeza profunda.
DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.
DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de autovalorização.
DOR NOS JOELHOS: medo de recomeçar, medo de seguir
em frente
ENXAQUECA
: Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista..
FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro (a).
FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer.
GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.
HEMORRÓIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.
HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
INSÔNIA: Medo, culpa.
LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.
MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.
NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.
PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida.
PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.
PRESSÃO BAIXA: Falta de amor quando criança. Derrotismo.
PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.
PULMÕES: Medo de absorver a vida.
QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.
RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas.
REUMATISMO: Sentir-se vitima. Falta de amor. Amargura.
RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.
RINS: medo da crítica, do fracasso, desapontamento.
SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.
TIREÓIDE: Humilhação.
TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.
ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.
VARIZES: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.

Curioso não? Por isso vamos tomar cuidado com os nosso sentimentos, principalmente aqueles escondidos de nós.

'Quem esconde os sentimentos, retarda o crescimento da Alma'.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

" Posso ter defeitos"

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo…
Fernando Pessoa

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

ORTOGRAFIA DO ACORDO: INFRA-ESTRUTURA ou INFRAESTRUTURA?

A grafia atualizada é “infraestrutura”, sem hífen, pois o acordo ortográfico estabelece que não se usa hífen quando o prefixo termina em vogal diferente da que inicia o segundo elemento.

Outros exemplos: aeroespacial, agroindustrial, antiaéreo, antieducativo, autoaprendizagem, autoescola, autoestrada, autoinstrução, extraescolar, miniópera, plurianual, semiárido.

POR VENTURA ou PORVENTURA?


Depende do sentido. Se significar “por sorte”, é “por ventura”, separado: “Por ventura minha, cheguei antes de a tempestade começar”.

Se significar “por acaso”, é “porventura”, numa só palavra: “Porventura, você viu meus óculos?"

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Malcriação ou má-criação?



Não existe a palavra "malcriação".

O que existe é "má-criação".

Nas formações com "mal" e "mau/má", precisamos considerar o termo que vem depois dessas palavras.

Se for um verbo/particípio, usaremos o advérbio "mal".

Teremos assim um nome composto de acordo com o padrão da língua, pois advérbios modificam verbos: mal-educado, maltratado, malcriado.

Se o segundo elemento for um substantivo, usaremos o adjetivo "mau/má".
 
Formaremos desse modo um composto conforme a regra, pois adjetivos modificam substantivos: má-educação, maus-tratos, má-criação.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

A verdadeira história

CINDERELA

           Esse é um dos contos de fadas mais antigos já registrados, e com a maior quantidade de variações também (+ou-700). Algumas versões envolvendo um peixe gigante no lugar da fada madrinha datam de 850AD! Em outras histórias a fada madrinha é na verdade uma árvore que nasce sobre o túmulo da mãe da Cinderela.
Uma das modificações mais brutais ocorre no momento em que as irmãs malvadas tentam calçar os sapatos de cristal para enganar o príncipe, numa versão bem bizarra da história, uma delas CORTA fora seus dedos do pé para vestir o sapatinho e assim enganar o príncipe. Mas ela é desmascarada pelos pássaros amigos da Cinderela, que mostram ao príncipe o sangue escorrendo pelos sapatinhos, e depois, como vingança, arrancam os olhos das duas irmãs que terminam suas vidas cegas e mancas.
Há ainda uma outra versão (na verdade, ela é tão diferente que alguns nem a consideram como uma versão e sim um tipo de CINDERELLA ORIGINS) onde a cinderela era filha de um rei viúvo (algumas vezes a própria Cinderela foi quem matou a mãe) que jurou nunca mais se casar, a não ser que encontre uma mulher tão bela quanto a falecida esposa, que tivesse os cabelos cor de ouro, e que conseguisse calçar os mesmos sapatos da finada (fetiche por pés sacou!?). Acaba que sua filha (cinderela) preenche todos os requisitos, como 2 e 2 são 4, nada mais lógico que ele se casar com a própria filha.
Ela, por sua vez, na tentativa de fugir do casamento com seu próprio pai velho, barrigudo e incestuoso, foge pelo mar num armário de madeira (eu também achei estranho mais fazer o que, os caras eram criativos oras), no final ela consegue fugir, mas acaba do outro lado do mundo trabalhando como escrava na casa das irmãs malvadas, e daí pra frente começa a historia que vocês conhecem.

A história verdadeira

BRANCA DE NEVE

            




              Na história original da Branca de Neve, a "madrasta malvada" (que em algumas versões não é madrasta e sim sua mãe original) não cai de um penhasco como é mostrado no final do filme da Disney. Ela na verdade é forçada a vestir sapatos de ferro em brasa e dançar até cair morta. Outra bizarrice nessa história é a idade da branca de neve. Na versão dos Irmãos Grimm ela tem apenas sete anos, ou seja, príncipes pedófilos eram normais naquela época. E ao invés de dar um "beijo de amor", o principie carrega o CORPO MORTO (ou adormecido, se vocês quiserem) da branca de neve para seu palácio, para que assim ela estivesse sempre com ele (isso pode ser considerado um tipo de necrofilia?). Depois de algum tempo, um de seus servos, cansado de ter que carregar um caixão de um lado pro outro, resolve descontar suas frustrações dando uma baita SURRA na branca de neve. Um dos golpes desferidos no estômago faz com que ela vomite a maçã envenenada e assim volte à vida.
Mas de todas as mudanças feitas através dos anos, a mais sangrenta foi em relação ao coração da Branca de Neve. Nas histórias mais antigas a rainha não pedia ao caçador para trazer só ele. Ela queria também outros órgãos principais como pulmão, fígado etc... fora isso ela também queria um jarro com seu sangue (acho que o caçador precisou mais que um cervo pra resolver isso). Vocês devem estar perguntando: "pra que tudo isso?". Simples, ela queria JANTAR a branca de neve! Bizarro não!?

Encontrei no blog " e tome história" Mto bom!

historia verdadeira - chapeuzinho vermelho

        

       A história atual todos nós conhecemos: chapeuzinho vermelho, lobo mau, vovozinha e lenhador... Não preciso explicar certo!? Mas, na história original o lenhador não existe, na verdade a chapeuzinho e sua vovó são devoradas e pronto, parou por ai, nada de final feliz aqui.
Em outra versão ainda mais antiga, a chapeuzinho faz um strip-tease pro lobo (que as vezes era representado por um lobisomem ou um ogro) para assim poder fugir enquanto ele esta "distraído". Existe ainda uma versão mais bizarra ainda da história, onde o lobo estripa a vovó e obriga a chapeuzinho a jantá-la com ele. A chapeuzinho, que não é besta, diz que precisa ir ao banheiro (que naquela época ficava do lado de fora das casas) e fugia. Percebam que, em todas as versões que citei, o lobo sempre se dá bem no final, de uma forma ou de outra.