Seguidores

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Palavras de origem Tupi na Língua Portuguesa



Quando falamos de línguas indígenas, a primeira coisa que se pensa é que todos os povos falam Tupi.
Isto não está correto. O Tupi é um tronco linguístico e não uma língua. Esta confusão acontece porque muitas palavras do vocabulário brasileiro têm origem nas línguas da família Tupi-Guarani.
Além disso, existem mais de 180 línguas e dialetos indígenas no Brasil.
A
Abacaxi : fruta cheirosa, rescendente.
Arapuca: armadilha para aves.
B
Bauru: o cesto de frutas.
Biboca: moradia humilde.
C
Caju: “ano”, pois o tempo era contado por frutificações dessa planta.
aguará, aguaraçu, mamífero (lobo) dos cerrados e pampas (açu).
Canoa: embarcação a remo, esculpida no tronco de uma árvore; uma das primeiras palavras indígenas registradas pelos descobridores espanhóis.
Capenga: pessoa coxa, manca.
Catapora: o fogo interno, febre eruptiva, erupção.
Cupim: térmita, cupim.
Curumim: menino.
G
Gambá: a barriga oca.
Guará : (1) iguara, ave das águas, pássaro branco de mangues e estuários.
Guarani(1): raça indígena do interior da América do Sul tropical, habitante desde o Centro Oeste brasileiro até o norte da Argentina, pertencente à grande nação tupi-guarani; (2): grupo linguístico pertencente ao grande ramo tupi-guarani, porém mais característico dos indígenas do centro da América do Sul.
Guri: bagre jovem.
I
Ipanema: lugar fedorento
Ipiranga: rio vermelho.
J

Jacaré: sinuoso, com curvas.
Jaboti: aquele que tem muito fôlego.
L
Lengalenga: muita conversa, conversa fiada.
M
Mandioca: aipim, macaxeira, raiz que é principal alimento dos índios brasileiros.
Maracá: chocalho usado em solenidades.
N
Nhenhenhém:  falação, falar muito, tagarelice.
O
Oi: saudação tupi.
Oca: cabana ou palhoça, casa de índio (ocara, manioca).
P
Perereca: andar aos saltos.
Piá: o fruto das entranhas.
Pipoca: grão de milho que se arrebenta em flor por efeito da torra.
Pitanga: vermelho.
S
Saúva: espécie de formiga.
T
Tapera: aldeia abandonada; casa em ruínas.
Tiririca: arrastando-se, alastrando-se, erva daninha que se alastra com rapidez.
Tupi (1): povo indígena que habita(va) o Norte e o Centro do Brasil, até o rio Amazonas e até o litoral; (2): um dos principais troncos linguísticos da América do Sul, pertencente à família tupi-guarani.
X
Xará: tirado do meu nome.
Xavante: tribo indígena pertencente à família linguística jê. Ocupa extensa área, limitada pelos rios Culuene e das Mortes, Mato Grosso.
Vê-se, dos exemplos, que nós brasileiros conhecemos muitas palavras tupis, assim como internalizamos muitos hábitos e costumes desses nossos ancestrais, tais como: tomar banho todos os dias; andar um atrás dos outros; dormir em rede; andar enfeitado, pintado; usar roupa colorida; utilizar objetos feitos de barro e cipó; beber aluá; comer paçoca, farofa, pamonha, mungunzá. Enfim, há tanta herança indígena que não nos damos conta de sua extensão em nossas vidas. Mas sempre é bom lembrar o legado que tanto enriqueceu a cultura e os povos do Brasil.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Rápido e Fácil: 50 dicas

Abaixo você vai encontrar uma série de dicas a respeito de ortografia, significação de palavras, acentuação. São erros comuns entre as pessoas que se propões a escrever. Erros gramaticais e ortográficos devem, por princípio, ser evitados. Alguns, no entanto, como ocorrem com maior freqüência, merecem atenção redobrada.

1. "Mal cheiro", "mau-humorado". Mal opõe-se a bem e mau, a bom. Assim: mau cheiro (bom cheiro), mal-humorado (bem-humorado). Igualmente: mau humor, mal-intencionado, mau jeito, mal-estar.

2. "Fazem" cinco anos. Fazer, quando exprime tempo, é impessoal: Faz cinco anos. / Fazia dois séculos. / Fez 15 dias.

3. "Houveram" muitos acidentes. Haver, como existir, também é invariável: Houve muitos acidentes. / Havia muitas pessoas. / Deve haver muitos casos iguais.

4. "Existe" muitas esperanças. Existir, bastar, faltar, restar e sobrar admitem normalmente o plural: Existem muitas esperanças. / Bastariam dois dias. / Faltavam poucas peças. / Restaram alguns objetos. / Sobravam idéias.

5. Para "mim" fazer. Mim não faz, porque não pode ser sujeito. Assim: Para eu fazer, para eu dizer, para eu trazer.

6. Entre "eu" e você. Depois de preposição, usa-se mim ou ti: Entre mim e você. / Entre eles e ti.

7. "Há" dez anos "atrás". Há e atrás indicam passado na frase. Use apenas há dez anos ou dez anos atrás.

8. "Entrar dentro". O certo: entrar em. Veja outras redundâncias: Sair fora ou para fora, elo de ligação, monopólio exclusivo, já não há mais, ganhar grátis, viúva do falecido.

9. "Venda à prazo". Não existe crase antes de palavra masculina, a menos que esteja subentendida a palavra moda: Salto à (moda de) Luís XV. Nos demais casos: A salvo, a bordo, a pé, a esmo, a cavalo, a caráter.

10. "Porque" você foi? Sempre que estiver clara ou implícita a palavra razão, use por que separado: Por que (razão) você foi? / Não sei por que (razão) ele faltou. / Explique por que razão você se atrasou. Porque é usado nas respostas: Ele se atrasou porque o trânsito estava congestionado.

11. Vai assistir "o" jogo hoje. Assistir como presenciar exige a: Vai assistir ao jogo, à missa, à sessão. Outros verbos com a: A medida não agradou (desagradou) à população. / Eles obedeceram (desobedeceram) aos avisos. / Aspirava ao cargo de diretor. / Pagou ao amigo. / Respondeu à carta. / Sucedeu ao pai. / Visava aos estudantes.

12. Preferia ir "do que" ficar. Prefere-se sempre uma coisa a outra: Preferia ir a ficar. É preferível segue a mesma norma: É preferível lutar a morrer sem glória.

13. O resultado do jogo, não o abateu. Não se separa com vírgula o sujeito do predicado. Assim: O resultado do jogo não o abateu. Outro erro: O prefeito prometeu, novas denúncias. Não existe o sinal entre o predicado e o complemento: O prefeito prometeu novas denúncias.

14. Não há regra sem "excessão". O certo é exceção. Veja outras grafias erradas e, entre parênteses, a forma correta: "paralizar" (paralisar), "beneficiente" (beneficente), "xuxu" (chuchu), "previlégio" (privilégio), "vultuoso" (vultoso), "cincoenta" (cinqüenta), "zuar" (zoar), "frustado" (frustrado), "calcáreo" (calcário), "advinhar" (adivinhar), "benvindo" (bem-vindo), "ascenção" (ascensão), "pixar" (pichar), "impecilho" (empecilho), "envólucro" (invólucro).

15. Quebrou "o" óculos. Concordância no plural: os óculos, meus óculos. Da mesma forma: Meus parabéns, meus pêsames, seus ciúmes, nossas férias, felizes núpcias.

16. Comprei "ele" para você. Eu, tu, ele, nós, vós e eles não podem ser objeto direto. Assim: Comprei-o para você. Também: Deixe-os sair, mandou-nos entrar, viu-a, mandou-me.

17. Nunca "lhe" vi. Lhe substitui a ele, a eles, a você e a vocês e por isso não pode ser usado com objeto direto: Nunca o vi. / Não o convidei. / A mulher o deixou. / Ela o ama.

18. "Aluga-se" casas. O verbo concorda com o sujeito: Alugam-se casas. / Fazem-se consertos. / É assim que se evitam acidentes. / Compram-se terrenos. / Procuram-se empregados.

19. "Tratam-se" de. O verbo seguido de preposição não varia nesses casos: Trata-se dos melhores profissionais. / Precisa-se de empregados. / Apela-se para todos. / Conta-se com os amigos.

20. Chegou "em" São Paulo. Verbos de movimento exigem a, e não em: Chegou a São Paulo. / Vai amanhã ao cinema. / Levou os filhos ao circo.

21. Atraso implicará "em" punição. Implicar é direto no sentido de acarretar, pressupor: Atraso implicará punição. / Promoção implica responsabilidade.

22. Vive "às custas" do pai. O certo: Vive à custa do pai. Use também em via de, e não "em vias de": Espécie em via de extinção. / Trabalho em via de conclusão.

23. Todos somos "cidadões". O plural de cidadão é cidadãos. Veja outros: caracteres (de caráter), juniores, seniores, escrivães, tabeliães, gângsteres.

24. O ingresso é "gratuíto". A pronúncia correta é gratúito, assim como circúito, intúito e fortúito (o acento não existe e só indica a letra tônica). Da mesma forma: flúido, condôr, recórde, aváro, ibéro, pólipo.

25. A última "seção" de cinema. Seção significa divisão, repartição, e sessão equivale a tempo de uma reunião, função: Seção Eleitoral, Seção de Esportes, seção de brinquedos; sessão de cinema, sessão de pancadas, sessão do Congresso.

26. Vendeu "uma" grama de ouro. Grama, peso, é palavra masculina: um grama de ouro, vitamina C de dois gramas. Femininas, por exemplo, são a agravante, a atenuante, a alface, a cal, etc.

27. "Porisso". Duas palavras, por isso, como de repente e a partir de.

28. Não viu "qualquer" risco. É nenhum, e não "qualquer", que se emprega depois de negativas: Não viu nenhum risco. / Ninguém lhe fez nenhum reparo. / Nunca promoveu nenhuma confusão.

29. A feira "inicia" amanhã. Alguma coisa se inicia, se inaugura: A feira inicia-se (inaugura-se) amanhã.

30. Soube que os homens "feriram-se". O que atrai o pronome: Soube que os homens se feriram. / A festa que se realizou... O mesmo ocorre com as negativas, as conjunções subordinativas e os advérbios: Não lhe diga nada. / Nenhum dos presentes se pronunciou. / Quando se falava no assunto... / Como as pessoas lhe haviam dito... / Aqui se faz, aqui se paga. / Depois o procuro.

31. O peixe tem muito "espinho". Peixe tem espinha. Veja outras confusões desse tipo: O "fuzil" (fusível) queimou. / Casa "germinada" (geminada), "ciclo" (círculo) vicioso, "cabeçário" (cabeçalho).

32. Não sabiam "aonde" ele estava. O certo: Não sabiam onde ele estava. Aonde se usa com verbos de movimento, apenas: Não sei aonde ele quer chegar. / Aonde vamos?

33. "Obrigado", disse a moça. Obrigado concorda com a pessoa: "Obrigada", disse a moça. / Obrigado pela atenção. / Muito obrigados por tudo.

34. O governo "interviu". Intervir conjuga-se como vir. Assim: O governo interveio. Da mesma forma: intervinha, intervim, interviemos, intervieram. Outros verbos derivados: entretinha, mantivesse, reteve, pressupusesse, predisse, conviesse, perfizera, entrevimos, condisser, etc.

35. Ela era "meia" louca. Meio, advérbio, não varia: meio louca, meio esperta, meio amiga.

36. "Fica" você comigo. Fica é imperativo do pronome tu. Para a 3.ª pessoa, o certo é fique: Fique você comigo. / Venha pra Caixa você também. / Chegue aqui.

37. A questão não tem nada "haver" com você. A questão, na verdade, não tem nada a ver ou nada que ver. Da mesma forma: Tem tudo a ver com você.

38. A corrida custa 5 "real". A moeda tem plural, e regular: A corrida custa 5 reais.

39. Vou "emprestar" dele. Emprestar é ceder, e não tomar por empréstimo: Vou pegar o livro emprestado. Ou: Vou emprestar o livro (ceder) ao meu irmão. Repare nesta concordância: Pediu emprestadas duas malas.

40. Foi "taxado" de ladrão. Tachar é que significa acusar de: Foi tachado de ladrão. / Foi tachado de leviano.

41. Ele foi um dos que "chegou" antes. Um dos que faz a concordância no plural: Ele foi um dos que chegaram antes (dos que chegaram antes, ele foi um). / Era um dos que sempre vibravam com a vitória.

42. "Cerca de 18" pessoas o saudaram. Cerca de indica arredondamento e não pode aparecer com números exatos: Cerca de 20 pessoas o saudaram.

43. Ministro nega que "é" negligente. Negar que introduz subjuntivo, assim como embora e talvez: Ministro nega que seja negligente. / O jogador negou que tivesse cometido a falta. / Ele talvez o convide para a festa. / Embora tente negar, vai deixar a empresa.

44. Tinha "chego" atrasado. "Chego" não existe. O certo: Tinha chegado atrasado.

45. Tons "pastéis" predominam. Nome de cor, quando expresso por substantivo, não varia: Tons pastel, blusas rosa, gravatas cinza, camisas creme. No caso de adjetivo, o plural é o normal: Ternos azuis, canetas pretas, fitas amarelas.

46. Lute pelo "meio-ambiente". Meio ambiente não tem hífen, nem hora extra, ponto de vista, mala direta, pronta entrega, etc. O sinal aparece, porém, em mão-de-obra, matéria-prima, infra-estrutura, primeira-dama, vale-refeição, meio-de-campo, etc.

47. Queria namorar "com" o colega. O com não existe: Queria namorar o colega.

48. O processo deu entrada "junto ao" STF. Processo dá entrada no STF. Igualmente: O jogador foi contratado do (e não "junto ao") Guarani. / Cresceu muito o prestígio do jornal entre os (e não "junto aos") leitores. / Era grande a sua dívida com o (e não "junto ao") banco. / A reclamação foi apresentada ao (e não "junto ao") Procon.

49. As pessoas "esperavam-o". Quando o verbo termina em m, ão ou õe, os pronomes o, a, os e as tomam a forma no, na, nos e nas: As pessoas esperavam-no. / Dão-nos, convidam-na, põe-nos, impõem-nos.

50. Vocês "fariam-lhe" um favor? Não se usa pronome átono (me, te, se, lhe, nos, vos, lhes) depois de futuro do presente, futuro do pretérito (antigo condicional) ou particípio. Assim: Vocês lhe fariam (ou far-lhe- iam) um favor? / Ele se imporá pelos conhecimentos (e nunca "imporá- se"). / Os amigos nos darão (e não "darão-nos") um presente. / Tendo- me formado (e nunca tendo "formado-me").
 
Fonte: http://www.analisedetextos.com.br/p/100-dicas.html 

sábado, 7 de julho de 2012

Ditados Cibernéticos

Como estamos na ' Era Digital ', foi necessário rever os velhos ditados existentes e adaptá-los à nova realidade. Veja abaixo.





1. A pressa é inimiga da conexão.
2. Amigos, amigos, senhas à parte.
3. A arquivo dado não se olha o formato.

4. Diga-me que chat freqüentas e te direi quem és.

5. Para bom provedor uma senha basta.

6. Não adianta chorar sobre arquivo deletado.

7. Em briga de namorados virtuais não se mete o     mouse.

8. Hacker que ladra, não morde.

9. Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando.

10. Mouse sujo se limpa em casa.

11. Melhor prevenir do que formatar.

12. Quando um não quer, dois não teclam.

13. Quem clica seus males multiplica.

14. Quem com vírus infecta, com vírus será infectado.

15. Quem envia o que quer, recebe o que não quer...

16. Quem não tem banda larga, caça com modem.

17. Quem semeia e-mails, colhe spams.

18. Quem tem dedo vai a Roma.com

19. Vão-se os arquivos, ficam os back-ups.

20. Diga-me que computador tens e direi quem és.

21. Uma impressora disse para outra: Essa folha é sua ou é impressão minha.

22. Aluno de informática não cola, faz backup.

23. Na informática nada se perde nada se cria. Tudo se copia... E depois se cola
24. Os fins justificam os e-mails. 

Fonte: http://www.fabulasecontos.com.br/?pg=descricao&id=298

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Palavras ao vento - Pedro Bial

A primeira letra do alfabeto é também a primeira letra da palavra
amor e se acha importantíssima por isso!
Com A se escreve "arrependimento" que é uma inútil vontade de
pedir ao tempo para voltar atrás e com A se dá o tipo de tchau
mais triste que existe: "adeus"... Ah, é com A que se faz
"abracadabra", palavra que se diz capaz de transformar sapo em
príncipe e vice-versa...
Com B se diz "belo" - que é tudo que faz os olhos pensarem ser
coração; e se dá a "bênção", um sim que pretende dar sorte.
Com C, "calendário", que é onde moram os dias e o "carnaval",
esta oportunidade praticamente obrigatória de ser feliz com data
marcada. "Civilizado" é quem já aprendeu a cantar ´parabéns pra
você` e sabe o que é "contrato": "você isso, eu aquilo, com
assinatura embaixo".
Com D , se chega à "dedução", o caminho entre o "se" e o
"então"... Com D começa "defeito", que é cada pedacinho que
falta para se chegar à perfeição e se pede "desculpa", uma
palavra que pretende ser beijo.
E tem o E de "efêmero", quando o eterno passa logo; de
"escuridão", que é o resto da noite, se alguém recortar as
estrelas; e "emoção", um tango que ainda não foi feito. E tem
também "eba!", uma forma de agradecimento muito utilizada por
quem ganhou um pirulito, por exemplo...
F é para "fantasia", qualquer tipo de "já pensou se fosse
assim?"; "fábula", uma história que poderia ter acontecido de
verdade, se a verdade fosse um pouco mais maluca; e "fé", que é
toda certeza que dispensa provas.
A sétima letra do alfabeto é G, que fica irritadíssima quando a
confundem com o J. G, de "grade", que serve para prender todo
mundo - uns dentro, outros fora; G de "goleiro", alguém em quem
se pode botar a culpa do gol; G de "gente": carne, osso, alma e
sentimento, tudo isso ao mesmo tempo.
Depois vem o H de "história": quando todas as palavras do
dicionário ficam à disposição de quem quiser contar qualquer
coisa que tenha acontecido ou sido inventada.
O I de "idade", aquilo que você tem certeza que vai ganhar de
aniversário, queira ou não queira.
J de "janela!, por onde entra tudo que é lá fora e de "jasmim",
que tem a sorte de ser flor e ainda tem a graça de se chamar
assim.
L de "lá", onde a gente fica pensando se está melhor ou pior do
que aqui; de "lágrima", sumo que sai pelos olhos quando se
espreme o coração, e de "loucura", coisa que quem não tem só
pode ser completamente louco.
M de "madrugada", quando vivem os sonhos...
N de "noiva", moça que geralmente usa branco por fora e vermelho
por dentro.
O de "óbvio", não precisa explicar...
P de "pecado", algo que os homens inventaram e então inventaram
que foi Deus que inventou.
Q, tudo que tem um não sei quê de não sei quê.
E R, de "rebolar", o que se tem que fazer pra chegar lá.
S é de "sagrado", tudo o que combina com uma cantata de Bach; de
"segredo", aquilo que você está louco pra contar; de "sexo":
quando o beijo é maior que a boca.
T é de "talvez", resposta pior que ´não`, uma vez que ainda
deixa, meio bamba, uma esperança... de "tanto", um muito que até
ficou tonto... de "testemunha": quem por sorte ou por azar, não
estava em outro lugar.
U de "ui", um ài" que ainda é arrepio; de "último", que anuncia
o começo de outra coisa; e de "único": tudo que, pela facilidade
de virar nenhum, pede cuidado.
Vem o V, de "vazio", um termo injusto com a palavra nada; de
"volúvel", uma pessoa que ora quer o que quer, ora quer o que
querem que ela queira.
E chegamos ao X, uma incógnita... X de "xingamento", que é uma
palavra ou frase destinada a acabar com a alegria de alguém; e
de "xô", única palavra do dicionário das aves traduzida para o
português.
Z é a última letra do alfabeto, que alcançou a glória quando foi
usada pelo Zorro... Z de "zaga", algo que serve para o goleiro
não se sentir o único culpado; de "zebra", quando você esperava
liso e veio listrado; e de "zíper", fecho que precisa de um bom
motivo pra ser aberto; e de "zureta", que é como fica a cabeça
da gente ao final de um dicionário inteiro.


segunda-feira, 28 de maio de 2012

Ela é O CARA!

Quando me dirijo a uma garota, posso tratá-la também por caras

Pode. Cara, equivalente de indivíduo, sujeito, é nome sobrecomum, ou seja, pode ser dirigido tanto a homem quanto a mulher.

Ex.: Ela é o máximo, é o cara!

Fonte: Sacconi.

Palavras sem classe gramatical

Há palavras que não se enquadram em nenhuma classe gramatical. Muitas vezes são confundidas com os advérbios, mas não modificam verbo, adjetivo ou outro advérbio. Recebem o nome de palavras denotativas e podem indicar:

1. Designação - eis.

Eis aqui os recibos dos impostos já pagos.

2. Realce - é que, ainda, lá, só, apenas, mas.

O telejornal é que divulgou a descoberta.
Veja o que vai dizer a ele!

3. Situação - então, afinal, mas, agora.

Então o plano não deu certo, desta vezs
Afinal, quem lhe parece o provável candidatos

4. Inclusão - também, até, mesmo, inclusive.

Ninguém compareceu à aula de reforço, nem mesmo os que mais precisavam.
Até minha avó, de mais de 90 anos, resolveu fazer um passeio.


5. Exclusão - menos, exceto, salvo, fora, apenas, só, senão, sequer.

Apenas numa loja do shopping, encontrei o CD.
Nem sequer informou a data do casamento.

6. Retificação - aliás, ou melhor, isto é, ou seja, melhor dizendo.

Nada sabemos sobre eles, ou melhor, sabemos apenas que viviam sob o mesmo teto.


Fonte: Leila Lauar Sarmento.

Numerais: algarismo romano

Na leitura dos algarismos romanos que vêm após substantivos que indicam séculos, nomes de papas ou reis e partes de uma obra, empregam-se numerais ordinais até o décimo e, depois, numerais cardinais:

Na Idade Média, no século IX (século nono), predominou o Cristianismo na Europa.
Henrique VIII (Henrique oitavo), rei da Inglaterra, foi casado com Ana Bolena.
No capítulo II (capítulo segundo), estudamos fonema e letra.
O volume XII (volume doze) desta coleção traz biografias de pintores.


ATENÇÃO: Se o algarismo vier antes do substantivo, é lido sempre como numeral ordinal:

O V episódio (quinto episódio) do romance é surpreendente.
O XI capítulo (décimo primeiro capítulo) pareceu-me mais longo.

Fonte: Leila Lauar Sarmento.

Sentidos das PREPOSIÇÕES

1. Lugar ou origem:

O aparelho é de Londres.
A família residia em Santos.

2. Direção:

Vou a São Paulo, amanhã.

3. Modo:

O remédio era tomado a pequenos goles.

4. Posse:

Reformara a casa de Fernando.

5. Tempo:

Os pescadores partiram de noite.

6. Distância:

São poucos quilômetros daqui a sua casa.

7. Instrumento:

O professor apagou o quadro com o apagador.

8. Causa:

Por ser competente, foi a escolhida.

9. Companhia:

Os pequenos andavam pelo shopping com os pais.

10. Finalidade:

Compraram o material para a reforma da escola.

Fonte: Leila Lauar Sarmento.

Trabalho:Tortura?


Nem sempre a ideia de trabalho esteve ligada a algo que dignificasse o homem. Na sua origem, a palavra trabalho estava relacionada à ideia de tortura, de sofrimento.

O substantivo trabalho provém da palavra latina tripalium, que, por sua vez, tem origem em tri (três) + palus (pau). O tripalium era um instrumento formado por três paus fincados no chão no qual os romanos torturavam os escravos. O verbo trabalhar provém do verbo latino tripaliare, que significava torturar com o tripalium.

A ideia de trabalho como algo que causa dor e sofrimento está presente em nossa língua em expressões como "está trabalhando feito um condenado", "isso dá muito trabalho" e "deu uma trabalheira danada".
Fonte: Ernani Terra.

domingo, 13 de maio de 2012

O Grau Diminutivo de Alguns Substantivos

O grau refere-se a uma das flexões inerentes aos substantivos, e que se torna alvo de questionamentos em razão de apresentarem algumas particularidades, como é o caso da forma analítica, a qual permite mais de uma colocação.

Questionamentos estes que vão sendo suprimidos à medida que ampliamos nossos conhecimentos em relação aos fatos concebidos pela língua. A leitura e a escrita são fatores preponderantes rumo ao alcance desse objetivo, pois a partir do momento em que estabelecemos uma familiaridade maior com os mesmos, tornamo-nos aptos a colocá-los em prática de forma correta.

No intento de reforçarmos um pouco mais os nossos conhecimentos sobre o grau diminutivo de alguns substantivos, apresenta-se a seguir uma relação contendo os mesmos:

Substantivo Grau diminutivo
animal animalejo, animalzinho,animálculo
árvore arbúsculo, arbusto, arvoreta
asa álula, aselha
caixa caixeta, caixote, caixola
cão cãozinho, canicho, cãozito
chapéu chapeleta, chapelinho
chuva chuvisco, chuvisqueiro
corpo corpúsculo
dente dentículo
face faceta
fazenda fazendola
filho filhinho, filhote
 fita  fitilho,
flor   florinha, florículo, florzinha, flóculo
 fogo  fogacho
 folha  folíolo
 gota  gotícula
 homem  homenzinho, hominho, homúnculo
 língua  lingueta
 livro  livreto, livrete
 lugar  lugarejo
 mala  malote, maleta
 nó  nódulo
 ovo  óvulo
 palácio  palacete
 papel  papelico, papelete, papelucho, papelinho
 pele  película
 poema  poemeto
 rua  ruela
 rio  riacho, ribeiro, regato
 verso  versículo
Por Vânia Maria do Nascimento Duarte

Vícios de linguagem

Os vícios de linguagem se classificam em:

- Barbarismo: desvio da norma quanto à:

- grafia: proesa em vez de proeza;
- pronúncia: incrustrar em vez de incrustar;
- morfologia: cidadões em vez de cidadãos;
- semântica: Ele comprimentou o tio (em vez de cumprimentou).
- todas as formas de estrangeirismo são consideradas, por diversos autores, barbarismo.
  Ex: weekend em vez de fim de semana.

- Arcaísmo: emprego de palavras ou estruturas antigas que deixaram de ser usadas.
Ex: Vossa Mercê em vez de você.

- Neologismo: emprego de novas palavras que não foram incorporadas pelo idioma.
Ex: Que pode uma criatura senão,
     entre criaturas, amar?
     amar e esquecer,
     amar e malamar,
     amar, desamar, amar?
     sempre, e até de olhos vidrados, amar?

- Solecismo: erros de sintaxe contra as normas de concordância, de regência ou de colocação.

- concordância: Sobrou muitas vagas (em vez de sobraram).
- regência: Hoje assistiremos o filme (em vez de ao filme).
- colocação: Me empresta o carro? (em vez de empresta-me)

- Ambigüidade: ocorre quando uma frase causa duplo sentido de interpretação.
Ex: O ladrão matou o policial dentro de sua casa. (na casa do ladrão ou do policial?).

- Cacófato: refere-se ao mau som que resulta na união de duas ou mais palavras no interior da frase.
Ex: Nunca gasta com o que não é necessário.

- Eco: ocorrência de terminações iguais.
Ex: Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão.

- Pleonasmo: redundância desnecessária de informação.
Ex: Está na hora de entrarmos pra dentro.

Por Marina Cabral

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Observações sobre o uso da letra X

1) O X pode representar os seguintes fonemas:
    /ch/ - xarope, vexame
    /cs/ - axila, nexo
    /z/ - exame, exílio
    /ss/ - máximo, próximo
    /s/ - texto, extenso
2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci-
    Exemplos: excelente, excitar

Emprego das letras E e I
Na língua falada, a distinção entre as vogais átonas /e/ e /i / pode não ser nítida. Observe:
Emprega-se o E:
1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar
    Exemplos:
    magoar - magoe, magoes
    continuar- continue, continues
2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior)
    Exemplos: antebraço, antecipar
3) Nos seguintes vocábulos:
    cadeado, confete, disenteria, empecilho, irrequieto, mexerico, orquídea, etc.

Emprega-se o I :
1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir
    Exemplos:
    cair- cai
    doer- dói
    influir- influi
2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra)
    Exemplos:
    Anticristo, antitetânico
3) Nos seguintes vocábulos:
    aborígine, artimanha, chefiar, digladiar, penicilina, privilégio, etc. 
    www.soportugues.com.br

quarta-feira, 28 de março de 2012

Interpretação de texto Para entender, identifique os símbolos

"Ler significa aproximar-se de algo que acaba de ganhar existência."
Italo Calvino


Um mapa aberto. A mão estendida para a cartomante. Os búzios na terra. Pegadas na areia. Um pescador olha para o céu e sabe se vai chover. Um biólogo segue os rastros de uma onça pela floresta. Muros escritos da cidade. A linguagem das mãos dos surdos-mudos. O rosto do outro. Os sonhos estranhos. As placas na estrada.

Livros abertos: uma menina deitada no chão vê imagens coloridas. Um homem lê um romance. Uma mulher está atenta às notícias do dia, num jornal. Leituras.

Vivemos num mundo imerso em sinais que fatalmente vemos e precisamos olhar, ler, decifrar. Talvez tão naturalmente quanto respiramos, desenvolvemos a capacidade de ler continuamente as coisas que nos cercam. Lemos para nos entender, para entender os outros e o universo de que fazemos parte. Desde bebês, já estamos atentos às linguagens que nos circundam: os cheiros, os barulhos, as vozes da mãe, do pai, os toques: carícias ou palmadas.

Oralidade e escrita

À medida que crescemos, lançamo-nos às aventuras dos sons articulados, do falar, da língua. Logo passamos a desenhar, a começar a delinear formas na página branca do papel. Começamos a reconhecer letras, sílabas, textos: a escrita abre novas possibilidades para a linguagem que, oralmente, já conquistamos. Depois de aprender a decifrar os textos, estaremos lendo o tempo todo - para sempre. Qualquer palavra que surja à nossa frente é imediatamente decodificada.

Descobrir e decifrar

O ato de ler implica descobrir e conhecer o mundo. Com ele, desenvolvemos o tempo todo um processo de atribuir sentido às coisas. Pense nos inúmeros textos que você encontra em seu dia a dia, enquanto está caminhando em uma avenida, por exemplo: pichações nos muros, outdoors, nomes de ruas nas placas das esquinas, anúncios de lojas, letreiros de edifícios, números das casas, sem falar na banca de jornal, repleta de imagens e manchetes. Na verdade, quase sem perceber, você caminhado por um universo de signos, ou de símbolos, ou ainda de sinais.

O sentido das coisas nos vem principalmente por meio do olhar, da leitura: da compreensão e da interpretação desses múltiplos signos que enxergamos, desde os mais corriqueiros, como os nomes de ruas, até os mais complexos, como uma poesia com metáforas e imagens - cujo sentido muitas vezes demoramos para decifrar.

No poema que segue, de Paulo Leminski, percebe-se o quanto é essencial para o ser humano a atribuição de significados, tanto para os mistérios do nosso mundo interior, quanto para as coisas e fenômenos do mundo exterior a nós:

Buscando o sentido
O sentido, acho, é a entidade mais misteriosa do universo.
Relação, não coisa, entre a consciência, a vivência e as coisas e os eventos.
O sentido dos gestos. O sentido dos produtos. O sentido do ato de existir.
Me recuso a viver num mundo sem sentido.
Estes anseios/ensaios são incursões conceptuais em busca do sentido.
Pois isso é próprio da natureza do sentido: ele não existe nas coisas, tem que ser buscado, numa busca que é sua própria fundação.
Só buscar o sentido faz, realmente, sentido.
Tirando isso, não tem sentido.


Interpretar um texto, então, é tarefa com a qual você já está habituado: da mesma maneira que você identifica na cozinha um estrondo de metais como o sinal de que sua mãe deixou cair as panelas no chão, identifique os símbolos do texto e tente relacioná-los com fatos "do mundo" real. O que o autor quis dizer com tal palavra? Aquele sentimento, você já o experimentou? Entendendo esses símbolos, sua leitura será mais rica e prazerosa.

* Carla Caruso é escritora, pesquisadora e realiza projetos de capacitação de professores no Estado de São Paulo.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Charadas e Adivinhações

Nessa seção temos algumas charadas (também conhecidas como adivinhações, o que é o que é) bem divertidas.

  1. É nome de mulher e nome de homem. Ia mas acabou não indo?
    Resposta: Isaias: Isa-ias
  2. O que há no meio do coração?
    Resposta: a letra “a”
  3. Quem inventou a fila?
    Resposta: as formigas
  4. Na televisão cobre um país; no futebol, atrai a bola; em casa incentiva o lazer. O que é?
    Resposta: a rede
  5. Mantém sempre o mesmo tamanho, não importa o peso?
    Resposta: a balança
  6. Por que os loucos nunca estão em casa?
    Resposta: porque vivem fora de si.
  7. O que detestamos na praia e adoramos na panela?
    Resposta: caldo
  8. O que é que cai de pé e corre deitado?
    Resposta: as gotas da chuva
  9. Por que é que o boi sobe o morro?
    Resposta: porque não pode passar por baixo
  10. Tem cabeça, tem dente, tem barba, não é bicho nem é gente, o que é?
    Resposta: alho
  11. O que é o que é, tem chapéu, mas não tem cabeça, tem boca mas não fala, tem asa mas não voa?
    Resposta: bule
  12. Qual a semelhança que há entre a arrumação de uma casa e o samba
    Resposta: em ambas mexemos com as cadeiras
  13. O que a banana falou para o tomate?
    Resposta: eu que tiro a roupa e você é quem fica vermelha?
  14. O que a areia da praia falou para o mar?
    Resposta: deixa de onda...
  15. O que são vários pontinhos amarelos na parede?
    Resposta: fandangos alpinistas
  16. O que é que dá um pulo e se veste de noiva?
    Resposta: pipoca
  17. Por que algumas pessoas colocam o despertador do debaixo do travesseiro?
    Resposta: para acordar em cima da hora.
  18. O que o tomate foi fazer no banco?
    Resposta: tirar extrato
  19. O que é que se pões na mesa, parte, reparte mas não se come?
    Resposta: baralho
  20. O que é que se tem debaixo de um tapete do hospício?
    Resposta: Um doido varrido
  21. Qual a diferença entre o gato e a Coca- cola?
    Resposta: O gato mia, a Coca- cola light.
  22. Qual é o queijo que mas sofre?
    Resposta: O Queijo ralado.
  23. Por que o boi baba?
    Resposta: porque ele não sabe cuspir!!
  24. Tem asa, tem bico, e fica em baixo da cama
    Resposta: as pessoas irão respoder pinico, mas é bule! hehehe...o bule é meu eu coloco onde quiser! rs
  25. O que é , o que é? Quando a gente fica em pé ele fica deitado e quando a gente fica deitado ele fica em pé?
    Resposta: O Pé
  26. O que é, o que é? Tem coroa mas não é rei, tem espinho mas não é peixe?
    Resposta: Abacaxi
  27. Qual o pé que é mais rápido?
    Resposta: O pé- de- vento!!!
  28. O Que é, uma casinha sem tranca e sem janela?
    Resposta: OVO
  29. O que o chão falou para mesa?
    Resposta: Fecha as pernas que eu tô vendo tudo.
  30. Na água nasci, na água me criei, mas se me jogarem na água morrerei?
    Resposta: O Sal
  31. Qual o lugar em que todos podem sentar menos você?
    Resposta: O seu colo.
  32. O que é que anda com os pé na cabeça?
    Resposta: O piolho!
  33. O que a fechadura disse pra chave?
    Resposta: Vamos dar uma voltinha?
  34. Dois vizinhos. Um não vai a casa do outro e os dois não se vêem por causa de um morrinho ? Quem são eles ???
    Resposta: Os olhos
  35. O que o cavalo foi fazer no orelhão?
    Resposta: passar um trote
  36. Porque o elefante usa óculos verde?
    Resposta: Para ver de perto.
  37. Porque o elefante usa óculos vermelho?
    Resposta: Para ver melhor.
  38. O que entra na água e não se molha?
    Resposta: A sombra
  39. O que mais se tira mas aumenta?
    Resposta: O buraco.
  40. O cinema estava cheio de cimento, qual o nome do filme?
    Resposta: Nenhum, o cinema estava em construção.
  41. O que pesa mais no mundo?
    Resposta: a balança
  42. O que é, o que é? Do tamanho de uma bolota e enche a casa até à porta?
    Resposta: A Luz
  43. O que é, o que é? Éramos dois irmãos unidos, os dois de uma cor. Nunca fiquei sem missa, mas meu irmão já ficou. Para festas e banquetes a mim convidarão. Para festas de cozinha, convidarão meu irmão.
    Resposta: vinho e vinagre
  44. O que é, o que é? Qual o céu que não possui estrelas?
    Resposta: O céu da boca
  45. O que é, o que é? Que é irmã de minha tia e não é minha tia?
    Resposta: A minha mãe
  46. O que é, o que é? Enche uma casa completa, mas não enche uma mão. Amarrado pelas costas, entra e sai sem ter portão.
    Resposta: O Botão
  47. O que é, o que é? De dia tem quatro pés e de noite tem seis?
    Resposta: A cama
  48. O que é, o que é? Anda deitado e dorme em pé?
    Resposta: O Pé
  49. O que é, o que é? À direita sou um homem, facilmente acharás. Às avessas só à noite e nem sempre encontrarás.
    Resposta: Raul e luar
  50. Um pato vai subindo uma ladeira e põe um ovo. O ovo desce ou sobre?
    Resposta: O pato não põe ovo, quem põe ovo é a pata!
  51. O que é, o que é? Que é meu, mas meus amigos usam mais do que eu?
    Resposta: O meu nome
  52. Por que o computador foi preso?
    Resposta: Porque ele executou um programa.
  53. O que é que quanto mais rugas tem mais novo é?
    Resposta: O Pneu.
  54. O gafanhoto traz na frente e a pulga traz atrás?
    Resposta: A sílaba "ga"
  55. Fruta vermelha, doce e saborosa
    Quando está madura fica mais gostosa

    Resposta: caqui
  56. O Que é o que é?
    Estou no início da rua,no fim do mar e no meio da cara?

    Resposta: A letra " r"
  57. De leite é feito, muito bom e nutritivo
    Se nome rima com beijo.

    Resposta: Queijo
  58. Todas as mães têm.
    Sem ele não tem pão.
    Some no inverno
    Aparece no verão.

    Resposta: O til~
  59. se você mudar uma letra em meu nome
    Irá aparecer o nome do animal que é meu maior inimigo

    Resposta: Rato
  60. Trabalha tempo dobrado.
    Sempre de noite e de dia
    Se teima em ficar parado, só com uma corda andaria

    Resposta: O Relógio
  61. Em um aquário tem 10 peixes 5 morreram afogados.Quantos sobraram?
    Resposta: Peixe não morre afogado
  62. O que é o que é?O que é, o que é, que fica cheio de boca para baixo e vazio de boca para cima?
    Resposta: O Chapéu
  63. Eu tenho uma enxada uma pá e uma foice.Quantas ferramentas eu tenho?
    Resposta: Duas,porque uma foi-se
  64. O que é o que é: Quando parte uma partem as duas, quando chega uma chegam as duas?
    Resposta: Pernas
  65. Qual a coisa mais veloz do mundo?
    Resposta: O Pensamento
  66. O que é que nós matamos quando está nos matando?
    Resposta: A Fome
  67. O que é que correr pela casa toda e depois dorme num canto?
    Resposta: A vassoura
  68. O que é que quanto mais se perde, mais se tem?
    Resposta: O Sono
  69. Qual o sobrenome que todo mundo tem?
    Resposta: Costa
  70. Qual a maior boca do mundo?
    Resposta: A boca da noite
  71. O que é que faz virar a cabeça d eum homem?
    Resposta: O Pescoço
  72. QUEM É QUE NASCE NO RIO, VIVE NO RIO E MORRE NO RIO, MAS NÃO ESTÁ SEMPRE MOLHADO?
    Resposta: O CARIOCA.
  73. O QUE É QUE CORRE EM VOLTA DO PASTO INTEIRO SEM SE MEXER?
    Resposta: A CERCA.
  74. O QUE É QUE NUNCA PASSA, E SEMPRE ESTÁ NA FRENTE?
    Resposta: O FUTURO.
  75. QUAL A DIFERENÇA ENTRE A MULHER E O LEÃO?
    Resposta: A MULHER USA BATOM E O LEÃO RUGE.
  76. O QUE É QUE PODE SER DE FERRO, DE GELO, DE CHOCOLATE E DE ÁGUA AO MESMO TEMPO?
    Resposta: BARRA.
  77. QUAIS AS CAPITAIS BRASILEIRAS MAIS FALADAS NO MÊS DE DEZEMBRO?
    Resposta: NATAL, BELÉM E SALVADOR.
  78. O QUE É QUE QUANDO SE ESCREVE COM “O” COSTUMA MATAR, E COM “A” SÓ SERVE PARA AMARRAR?
    Resposta: TIRO/TIRA.
  79. O QUE É QUE PODE PASSAR DIANTE DO SOL SEM FAZER SOMBRA?
    Resposta: O VENTO.
  80. O que o zero disse para o oito?
    Resposta: Que cinto maneiro!!!
  81. Quatro pés, em cima de quatro pés, esperando quatro pés chegar. Quatro pés não veio, quatro pés foi embora, quatro pés ficou. O que é o que é?
    Resposta: O gato em cima da mesa esperando o rato chegar, o rato não veio, o gato foi embora e a mesa ficou.
  82. O que a zebra disse para a mosca?
    Resposta: Você está na minha lista negra
  83. O Que o nadador faz para bater o recorde?
    Resposta: Nada.
  84. COM DEZ PATAS VAI DE LADO,
    CONSTELAÇÃO TEM SEU NOME,
    NÃO TEM PESCOÇO E É CAÇADO
    PORQUE É GOSTOSO E SE COME.

    Resposta: CARANGUEJO.
  85. TODO MUNDO PRECISA,
    TODO MUNDO PEDE,
    TODO MUNDO DÁ,
    MAS NINGUÉM SEGUE?

    Resposta: CONSELHO.
  86. Você está em uma sala escura com um unico fósforo na mão,à sua frente tem uma vela,uma lamparina e uma pilha de lenha o que você acenderia primeiro?
    Resposta: o fósforo
  87. Qual a cidade Sulamericana que pende nos galhos da árvore?
    Resposta: Lima
  88. O que é o que é? Subindo o sol Vai se encurtando descendo o sol vai se alongando?
    Resposta: A Sombra
  89. Tem coroa, mas não é rei, tem raiz, mas não é planta?
    Resposta: O Dente
  90. O que é, o que é: De dia fica no céu e à noite fica na água?
    Resposta: A dentadura
  91. O QUE É O QUE É NÃO TEM PÉ E CORRE, TEM LEITO E NÃO DORME, QUANDO PÁRA, MORRE?
    Resposta: O rio
  92. O QUE É O QUE É RESPONDA DEPRESSA, NÃO SEJA BOCÓ, TEM NO POMAR E NO SEU PALETÓ?
    Resposta: Manga
  93. O QUE É O QUE É: É VERDE E NÃO É PLANTA, FALA E NÃO É GENTE?
    Resposta: Papagaio
  94. O QUE É O QUE É UMA CAIXINHA DE BOM PARECER, NÃO HÁ CARPINTEIRO QUE SAIBA FAZER?
    Resposta: A Noz
  95. ESTÁ NO MEIO DO OVO?
    Resposta: A LETRA V.
  96. O QUE É QUE É QUE NUNCA VOLTA, EMBORA NUNCA TENHA IDO?
    Resposta: O PASSADO.
  97. O que é, o que é?
    É verde e não é capim.
    É branco e não é algodão.
    É vermelho e não é sangue
    É preto e não é carvão

    Resposta: Melância
  98. O que é, o que é?
    Que não se come,
    mas é bom para se comer?

    Resposta: Talher
  99. O que é, o que é?
    Que mesmo atravessando
    o rio consegue não se molhar?Ponte

    Resposta: A Ponte
  100. O que é, o que é?
    Me diga se for capaz.
    Me diga quem é aquele
    que num instante se quebra
    se alguém diz o nome dele?

    Resposta: O Silêncio
  101. O que é, o que é o castelo que nem um rei ou rainha mora?
    Resposta: O castelo de areia
  102. Por que o louco toma banho com o chuveiro desligado?
    Resposta: Porque comprou xampu para cabelos secos
  103. Qual a maior injust iça do Natal?
    Resposta: O Peru morre e a missa é do Galo
  104. O que é o que é: Destrói tudo com três letras?
    Resposta: Fim
  105. O que é o que é: Não tem olhos, mas pisca; não tem boca, mas comanda?
    Resposta: O semáforo
  106. Qual o vinho que não tem álcool?
    Resposta: O-vinho de codorna.
  107. Como a bruxa sai na chuva?
    Resposta: De rodo
  108. O que é o que é: Quanto mais eu tiro mais eu tenho?
    Resposta: fotografias
  109. Quem é o rei da horta?
    Resposta: O Rei Polho.
  110. Por que o Batman colocou o batmóvel no seguro?
    Resposta: Porque ele tem medo que robin.
  111. Qual é o fim da picada?
    Resposta: Quando o pernilongo vai embora.
  112. O que é, o que é: cintura fina e perna alongada, toca corneta e leva bofetada?
    Resposta: O pernilongo.
  113. O que é o que é: Tem 5 dedos, mas não tem unha?
    Resposta: A luva
  114. O que é o que é:Que quanto mais cresce menos se vê?
    Resposta: A escuridão
  115. Quem morre em pé?
    Resposta: A vela
  116. Tem cabeça e não é gente, tem dente e não é pente?
    Resposta: alho
  117. Os pais desse bebê não tem braços, qual é o nome do filme?
    Resposta: Ninguém segura esse bebê.
  118. Tem um gato chamado tido ele sempre fica no cesto,certo dia ele foi embora,qual é o nome do filme?
    Resposta: O sexto sentido
  119. Tenho forma redonda e sou rosa porém nem todos os rios do mundo puderam me encher?
    Resposta: Peneira.
  120. Ao todo são 3 irmãos: o mais velho já se foi o do meio está conosco e o caçula não nasceu?
    Resposta: Passado, presente e futuro.
  121. Por que a vaca baba?
    Resposta: Porque não consegue cuspir!
  122. O que é que anda com a barriga para trás?
    Resposta: A perna da gente.
  123. Por que é difícil enterrar o elefante?
    Resposta: Porque os parentes lotam o cemitério.
  124. Duas pulgas decidiram passear. O que uma perguntou a outra?
    Resposta: Vamos a pé ou tomamos um cachorro.
  125. Qual é o animal que não vale mais nada?
    Resposta: O javali.
  126. Onde é que o boi consegue passar, mas o mosquito fica preso?
    Resposta: Na teia de aranha.
  127. Qual é o melhor dia para jogar basquete?
    Resposta: Na Sexta-Feira.
  128. O que é, o que é, que anda deitado e dorme em pé?
    Resposta: É o pé!
  129. O que o cirurgião e o matemático têm em comum?
    Resposta: Ambos vivem fazendo operações.
  130. Por que o menino colocou o despertador embaixo da cama?
    Resposta: Para acordar em cima da hora.
  131. Qual é a palavra que só tem três letras e acaba com tudo?
    Resposta: Fim.
  132. Quando é que um tigre se parece com um velho?
    Resposta: Quando é um tigre de bengala.
  133. O que é que nasce grande e morre pequeno?
    Resposta: O lápis.
  134. O que a zebra disse para a mosca?
    Resposta: Você está na minha listra negra.
  135. O que tem no meio do ovo?
    Resposta: A letra 'V'.
  136. O que é, o que é que se alimenta de léguas?
    Resposta: O Papa-léguas.
Mais em: http://www.qdivertido.com.br/charadas.php#ixzz1pcWKmj4Q